segunda-feira , 19 Fevereiro 2018
Home / Cidades / Presidente da Câmara da Pedra rompe com grupo do prefeito Osório Filho (PSB)

Presidente da Câmara da Pedra rompe com grupo do prefeito Osório Filho (PSB)

Presidente GÓ DO ALEGRE ao centro

                  Após se perder administrativamente no comando da Prefeitura Municipal, o prefeito da Pedra, Osório Filho (PSB), teve nesta quarta-feira (08) sua maior baixa política desde que entrou para a política partidária. O atual presidente da Câmara de Vereadores, Joaboão Lima Cavalcanti de Araujo (PR), o Gó do Alegre, fiel escudeiro do então prefeito desde o início de sua pré-campanha eleitoral, rompeu com a base do governo.

O anúncio foi feito durante a sessão ordinária da Casa Cícero Diogenes Magalhães e teve como plano de fundo a eleição da Mesa Diretora da casa legislativa. Gó do Alegre trabalhava para ser candidato a reeleição, mas, segundo suas próprias palavras, foi traído pelo grupo político que ajudou a montar e a chegar ao poder. Ele nominou como “traidores” os vereadores Leandro do Alegre (PROS), João de Olegário (PV), o vice-prefeito Mecinho e o vereador Tinan (PSD), que é candidato a presidente da casa.

Gó do Alegre disse que procurou os vereadores e chegou a conseguir seis votos para sua reeleição e pediu ao prefeito Osório Filho (PSB) que não se envolvesse na eleição da Câmara, mas, segundo ele “o grupo político não tão precisando de mim hoje, sou eu que estou precisando, mas estão todos com as costas viradas para mim porque querem me derrubar. O prefeito tomou partido, hoje ele apoia o vereador Tinan”.

O vereador afirmou em alto e bom som “Eu fui traído pelo meu próprio grupo político. Eles não dizem isso não, porque não tem coragem”. De acordo com Gó do Alegre Eles pegaram João Olegário que tinha lhe pedido para fazer uma orações e perguntar a Deus em quem votar e teria decidido votar nela e como eles “não conseguiram mudar o voto dele, levaram para o deputado Sebastião Oliveira para articular e puxar o meu tapete”.

Eu fui traído da seguinte forma: a personagem é o vereador João de Olegário. Eles pegaram ele, não conseguiram mudar o voto, mas levaram para o deputado Sebastião Oliveira para articular e puxar o meu tapete. Queria que eu tirasse minha candidatura. Desapareceram tudo, ninguém queria falar comigo. Me deram uma rasteira.

“Agora eu quero perguntar ao vereador João de Olegário: quem foi o Deus que Vossa Excelência procurou quando me pediu para fazer essas orações? Porque o Deus que eu conheço, o Deus que ensina às pessoas a vida do dia a dia para ter outra vida boa, ele não ensina a abraçar e depois trair não. Ele não ensina a você abraçar o amigo e dar uma punhalada nas costas dele não! O Deus que eu conheço é o Deus que faz o bem. Esse discurso do vereador Leandro é falso. Ele é maquiavélico, ele é o mentor de tudo isso, junto com o nosso vice-prefeito (Mecinho)”.

Gó do Alegre continua e sentencia que “Eu hoje sou a vítima de meu próprio grupo político e o amanhã a Deus pertence. Quem será a próxima? Não tenho mais condições de encostar nos vereadores Leandro e João de Olegário, ao vice-prefeito; o vereador Tinan, ele é cúmplice dessa situação poque armaram o circo para beneficiar o vereador Tinan”.

O vereador anuncia o rompimento com a base do governo “esse discurso que estou fazendo aqui nem eu acreditava que seria capaz de fazer um dia. Nem eu acreditava que seria capaz de chegar nessa tribuna e falar que não faço mais parte do grupo dos vereadores da base. Eu não faço mais parte do grupo dos vereadores da base, porque quem me trai, quem me dá uma rasteira eu quero distância deles”.

Ele finaliza dizendo que o grupo político do prefeito não precisa dele hoje, mas ele é que está precisando, porém estão todos com as costas viradas para ele porque querem o derrubar da presidência da Câmara de Vereadores.

“Estou sendo traído pelo grupo político que carreguei nas costas todo o tempo de minha vida pública. São esse povo que estão me derrubando”, concluiu o vereador Gó do Alegre.

Veja Também

Maia e ministro da Defesa discutem intervenção no Rio

                  O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *