quarta-feira , 21 Fevereiro 2018
Home / Cidades / Panorama: Carnaval de Arcoverde perde seu território no Polo de Pernambuco

Panorama: Carnaval de Arcoverde perde seu território no Polo de Pernambuco

              “Mas é Carnaval…Amanhã tudo volta ao normal…Deixa a festa acabar, Deixa o barco correr”. E em Arcoverde, com direito a Secretaria de Cultura e tudo mais, o Carnaval segue o ritmo da música de Chico Buarque e pela inoperância do governo faz valer o refrão e “deixa a festa acabar”. Seis anos após a cidade tornar-se um dos municípios polos do Carnaval de Pernambuco, numa parceria do ex-prefeito Zeca e o ex-governador Eduardo Campos, já falecido, e voltar os olhos da mídia e de todo o Estado para a arte e a cultura arcoverdense retratada na folia dos bois, a Capital do Samba de Coco, que recentemente recebeu também o batismo de Capital da Folia dos Bois, vê seu grande momento de expressão popular tombar, como tomba os touros na arena, e assistir a ilha da fantasia criada pelo marketing “revolucionário” da prefeitura que aprisiona o Carnaval num tablado chamado de palco e rebatiza a folia como território de todas as culturas.

Talvez não saibam, mas Arcoverde já é território multicultural, território do samba de coco, dos bois, ursos e jaraguás; da burra, que foi abandonada; da dança e do teatro, do maracatu que traz seu toque no boi que o representa, da rabeca e da poesia, de Lirinha e da Oara, de Lula Calixto que deixou saudades e do Raízes e Trupé; um verdadeiro território, um reinado que traz o Reisado, mas que escorre na incompetência de um governo que mascara a folia e faz regredir a nossa história e nossos eventos, levando consigo a cultura para outros territórios.

Esqueceu-se de pagar os artistas da terra no São João, esqueceu-se da Carroçada Natalina, esqueceu-se da Burra, esqueceu-se do Cine Rio Branco, abandonado; esqueceu-se o teatro anunciado com tanto fulgor seu retorno, mas não se esqueceu de criar uma secretaria para se fazer esquecer….Mas nesse território, como diria o Chico, “E mesmo o Padre Eterno que nunca foi lá…O que não tem governo nem nunca terá, O que não tem vergonha nem nunca terá, O que não tem juízo”.

Bate-Bate – É o que vem acontecendo na Câmara de Vereadores de Arcoverde e não entre oposição e governo, como poderia se imaginar. É governo versus governo. A mais nova veio da vereadora Cleriane Medeiros (PRTB), que desfilou uma folha corrida de problemas no Residencial Maria de Fátima: assassinatos, asfalto cedendo, buracos, falta de iluminação e necessidade de ressocialização de moradores. Parecia mais vereadora da oposição. E foi outra vereadora do governo que partiu pra defender o governo do governo, Célia Galindo (PSB). Confundiu presidência com o papel de líder do governo. Ah! o líder é Everaldo Lira. É o território do bate-bate.

Bate fumo – Apesar de não contar com a presença da presidente, o Conselho Municipal de Segurança de Arcoverde traçou uma estratégia no mínimo perigosa. De um lado vai à coordenadoria da Mulher e do outro a Polícia levando conscientização para os bairros. Beleza! Uma das metas é conscientizar os lideres comunitários para o combate ao tráfico de drogas. A eles caberiam indicar os locais proibidos. Aí mora o problema.

Bate perna – É o que anda fazendo a vereadora Cybele Brito (PP) em busca de montar palanques para sua candidatura a deputada. É o mais novo nome na disputa depois de Júlio Cavalcanti (PTB), Eduíno Brito (PP), André Britto (PSB),  Israel Guerra (PR), Regis Capoteiro (PRP). Depois de almoçar com Sebastião Oliveira (PR), com quem deverá fazer dobradinha, a vereadora circula por cidades em busca de cabos eleitorais. Teria ido parar em Tacaratu, mas em Arcoverde já tem vereador querendo bater continência para a vereadora dos exames. O laudo, só lá na frente, no território das urnas.

Bate martelo – Pode acontecer esta semana, no Território da capital pernambucana, quando a prefeita de Arcoverde, Madalena Britto (PSB) e seu filho empresário pré-candidato a deputado estadual, não o dos cavalos, mas o da argamassa, sentam com o governador recordista Paulo Câmara (PSB), a decisão sobre o futuro político da família da prefeita. Querem saber do governador quais os territórios que vai dar à “revelação da política sertaneja”. A decisão pode mandar o deputado estadual Eduíno Brito (PP) para fora do território verdiano, que fica só por trás observando.

Bate papo – Amigos desde o final dos anos 90, quando entrou na então VI Dires, os deputados Zeca Cavalcanti e Júlio Cavalcanti encontraram-se em São José do Egito, sábado (03) com o ex-deputado José Marcos de Lima (PR), que já estava em clima de Carnaval com o bloco Galo da Travessa. Quando deputado, Zé Marcos tinha Júlio Cavalcanti como seu assessor de gabinete e Zeca comandava em Arcoverde a conhecida Fusam, de onde saiu para ser prefeito em Arcoverde em 2004. Apesar de militarem em campos políticos opostos, a amizade prevalece acima das disputas eleitorais. Política com respeito e P maiúsculo.

Bate Tristeza – É o que revela a foto da reunião entre os representantes da prefeitura de Arcoverde e das agremiações carnavalescas, ao saberem o “tamanho” do evento e o rótulo dado à festa que jogou todo mundo em um só território. Os bois, ursos e outros mais terão em 2018 a mesma subvenção dada no ano passado. A maioria ficou segurando o queixo diante de tantas belas notícias.

Bate Dó – Pra quem viu o Carnaval de Arcoverde torna-se polo pernambucano da folia e ter no palco nomes como Lirinha, Fundo de Quintal, Fafá de Belém, Sandra de Sá, Zeca Baleiro e outros, assiste com dó a montagem do tablado que chamam de palco no novo território da fantasia criado pela prefeitura para justificar o injustificável. Basta passar na Praça da Bandeira para sentir a valorização da festa, que ainda será salva pelas troças e bois que de forma altiva vão ganhar a praça do povo.

Bate ponto – Nos dias 8 e 9, a Autarquia de Ensino Superior de Arcoverde – AESA, está com matrículas abertas para os retardatários. Tem vagas disponíveis para Geografia, Letras, História, Matemática, Biologia, Gestão Comercial e Pedagogia. Os três primeiros oferecem bolsas de 50% reduzindo a mensalidade para R$ 166,75. As vagas são oferecidas para vestibulandos, portadores de diploma, notas do Enem, 2ª Licenciatura e alunos retardatários que fizeram a matrícula online.

Veja Também

Violência: Três jovens mortos a tiros em Cabo do Santo Agostinho

                   Três jovens foram assassinados a tiros, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *